terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LII: E se?



E se tivesse circulado um envelope, para que o licenciamento dito em baixo tivesse sido autorizado?

Não sei, mas pelo sim, pelo não, dado que indícios existem, o nosso blogue avançou com uma queixa no Ministério Público.
Agora, é aguardar.


quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LI: Fórum Cultural de Ourém?



Fórum Cultural de Ourém é uma tonteira que tem feito uma sangria agoniante de recursos públicos, e para quê?
A resposta é simples, é nas adjudicações que os representantes dos adjudicantes ganham dinheiro. Ou seja, corrupção.
Desta vez foi feito mais um ajuste direto, para prestação dos projetos de especialidades, no valor de 39.900,00 €.
E já agora, 329.980,00 € para colocar o piso sintético no Campo da Caridade?
Ele há cá prioridades…. Mas algumas são duvidosas (aguardem para o ano quando as duas equipas do concelho tiverem descido para os distritais).
Tudo é importante, mas eu prezo mais a segurança rodoviária, por exemplo, e as nossas estradas estão miseráveis, prezo mais o meio ambiente, a rede de saneamento é deficitária, prezo mais a saúde, grande parte da rede de abastecimento é em fibrocimento…. Ai vida vida…



sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LI:



Sim, por Ourém vive-se um dilema de toupeiras, como dirá o Senhor Presidente de Câmara, atrás dos muitos processos contra sim que amontoam a sua secretária.
Isto porque Paulo Fonseca responde em mais um processo de litigância de má fé, movido pelo empresário que no passado conseguiu a declaração de insolvência do Presidente.  

Perante tudo isto, haverá tempo ainda para pensar em Ourém???

Só se vêem processos, projetos de futuro para o concelho, nada.


sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LIX: Tão transparentes que quase desaparecem...

Ourém subiu quatro lugares no ranking da transparência municipal, de 37.º para 33.º lugar, num conjunto de  308 municípios.
Trata-se de um ranking fantástico, que trata a informação existentes nos sites das autarquias, o que leva ao descalabro na maioria dos pequenos municípios do interior.
É mesmo engraçado, numa altura de MOVEs, acordos "secretos", de PSDs espicaçados, PSs feridos, das jogatanas de IMIS, com Presidentes de Junta à mistura, eis a conclusão: Estamos mais transparentes...
Tanto que qualquer dia desaparecemos....
Inventam cada treta...


quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LVIII: Com ou sem GPS?


Que acha que está a ver?
Para muitos estão a ver uma linha torta, um rabisco, algo incoerente sem grande significado. Com um princípio, com um fim, mas com uma construção amorfa, sem grande interesse.

Pois, pessoal, enganam-se.

Este é o traçado político que define a carreira de José Alho, no Partido Socialista.
De um lado para o outro, de candidato a número 2, que afinal era 4, de Quercus, ao ensino, ultrapassado pelo bigode, renegado pela sua Ourém, eis mais um golpe de rins: Secretariado Distrital do Partido Socialista.

Pois é, o número 2 de Maria do Céu Albuquerque, derrotados por António Gameiro, aceitou voltar a dar a mão a quem tinha dado o pé, e lá fez mais uma curva de 180º, voltando a circundar numa rotunda que tem sido assim: inócua.




terça-feira, 4 de novembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LVII: Descobre-se Tacho

E pronto, nada de surpreendente.
Após a extinção da SRU Fátima era normal que o Homem forte da gestão Fonsequina para Fátima arranja-se um novo tacho.
De dúvida em dúvida surgiu a resposta: Chefe de Gabinete do Senhor Presidente de Câmara.
As pessoas passam, as empresas mudam, o saque continua.
É engraçado ver um diabulante, que ora diz bem da gestão socialista, ora diz mal em foruns privados, chegar a tão importante cargo.
Em política tudo se paga, inclusivamente os apoios.
Agora falta saber o futuro que reservará a Mara Sebastião.
Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal, ou da OurémViva?
Aguardem...

Tá-se bem por Ourém 04-LVII: Incógnitas



O orçamento municipal para 2015 está muito longe de ser um dado certo, muita água correrá ainda por baixo da ponte, como diz o povo.
Mas para já, com a “incorporação da SRU Fátima”, porque extinção a mais obrigaria, resta uma incógnita muito forte:
Qual o tacho que se vai arranjar para os dois administradores, Mara Sebastião e Luís Mangas?
É que o vencimento é grande e tem que ser garantido porque aqui fora, no privado, as coisas são mais duras e tem que se ter unhas…O mundo para o design e para os gestores, que nunca o foram, não é rosas....

Aguarda povo… e vota, porque eles lá te esgotarão.



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LVI: Orçamento Municipal para 2015 agita hostes…



A actualidade política por Ourém tem andando, e ao que se sabe, agitada.
Desde a ruptura com o Executivo Socialista, no que toca ao IMI, que se espera do MOVE um esclarecimento sobre o estado do pacto de ingovernabilidade a que tem sido votado o município de Ourém.
Para quem esperava que era ontem, dia 28, que tal ficaria esclarecido, enganou-se. De facto, na conferência de imprensa do Vereador do Bigode, o que se ficou a saber era o mesmo que já se sabia, nada.
Ficam adiados esclarecimentos para a próxima reunião de Câmara Municipal de dia 2 de dezembro.
Mas outras dúvidas nos surgem, que gostávamos de ver esclarecidas:
Como se pretende executar uma “reforma profunda” da estrutura organizacional da Câmara Municipal, com o emagrecimento setorial da sua organização, quando se promove em simultâneo a extinção da SRU Fátima (incorporação diga-se) e a internalização da OurémViva?
É que é uma dúvida estrutural, Como fazer?
Ou será esta uma daquelas “ideias fotocopia” das de Paulo Fonseca, que dizia conseguir, num ano, reduzir a despesa em 30%?

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LV: Quebrar ou partir?



Como noticiado hoje no Mirante, e já amplamente difundido, Vítor Frazão assumiu-se com protagonismo na última questão política relevante discutida por Ourém: Redução da taxa de IMI.
O mesmo Jornal questiona, e bem, se esta divergência significa ou não o fim do pacto de governabilidade.
Por Ourém nada de novo, guerrinhas na corte e o povo a soluçar. O que nos vales por estes dias são outras alegrias, como um tecido empresarial resiliente e Fátima a marcar pontos num dia 13 molhado.
Paulo Fonseca voltou a perder, e Frazão a ganhar.


Tá-se bem por Ourém 04-LIII:Lixo a preço do ouro…



As Câmaras Municipais de Leiria, Batalha, Porto de Mós, Marinha Grande, Pombal e Ourém estão contra um aumento de 21,3% (?!) da taxa de resíduos sólidos urbanos.
Tudo isto resultado da privatização da EGF (Empresa Geral de Fomento, S.A.), cujo vencedor é um consórcio liderado pela Mota-Engil.
De venda em venda, quem se lixa são sempre os mesmos.
Que fazer?
Ah canalhas…

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Sim, mas alunos?



O Presidente reeleito do Instituto Politécnico de Tomar veio a público afirmar que havia espaço para dois institutos politécnicos na região, mais concretamente no distrito de Santarém.
Espaço existe, alunos é que não…

É ques olhando para a diferença de protagonismo entre esses dois politécnicos e o vizinho de Leiria, percebe-se que algo se passa, alguma razão existe, mas, mais uma vez, alunos é que não.


sábado, 11 de outubro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LIV: Fumo das velas…



Afinal o fumo das velas faz mal a Paulo Fonseca, ou da parafina, como por agora se produzem estes artefactos. Se por terras da República Checa o Presidente da Câmara de Ourém é visto em celebrações religiosas, cá no burgo tal não acontece.
Mais, continua a bombardear o Santuário com toda e qualquer questão que é tudo menos relevante. 
Desta vez decidiu criar um episódio porque o Santuário optou por fechar uma rua sem dar conhecimento ao município, ou melhor deu, mas a uma sexta-feira às cinco da tarde.
Se Deus é omnipresente, está em todo lado, a toda a hora, os funcionários públicos só “trabalham” até às cinco da tarde.
Falha grave do Santuário, que se esqueceu desse pormenor e, claro, da GNR que executou o fecho da rua.
Amuos, senhor Presidente?


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LII: Raios parta o IMI



Em 2012, na antecâmara da reeleição de Paulo Fonseca para a autarquia de Ourém, era afirmado por este que “temos uma situação terceiro-mundista. Estamos perante um crime ambiental e legal, já que apenas 46% do concelho tem cobertura do tratamento de águas residuais. A ideia é chegar a 2030 com 90% da população abrangida e servir mais 20 mil habitantes que hoje não têm saneamento básico.”
Infelizmente as eleições passaram e, com elas, deu-se a queda do contrato de concessão do Saneamento Básico, que verdadeiramente nunca esteve de pé. 
Tratou-se de uma manobra eleitoral do douto, que lá foi ludibriando os eleitores com mais uma promessa fácil.
Caindo o contrato de concessão da rede de saneamento, que era incomportável para os ourienses, resta-nos perguntar, e agora?
Como se vai resolver este crime ambiental e legal, Dr. Fonseca?
Ou será que a redução do IMI vai ser mais uma causa para a sua não concretização?
Espero não estar a dar nenhuma ideia…




terça-feira, 30 de setembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-LI: Fumaça



Excluindo o Futebol Feminino da equação, há duas instituições “socialistas” em Ourém onde ultimamente é só fumaça.
Fumo, fumo, mas sem fogo. Tudo pólvora seca.
As instituições de que falo são o Atlético, de “João Sousa Ourémvivas”, e a CMO, de “Fonsecas euromilhones”.

O Atlético este ano ainda não deu uma para a caixa, mas festejou-se com efusividade a conquista de uma mísera taça regional (vejo a capa do Noticias de Ourém). A Câmara Municipal, vangloria-se de ter reduzido despesas e amortizado dívidas, mas “é só porrada do Tribunal de Contas”.

É por isso que me apetece rir, com lágrimas.
Por Ourém nada de novo, pena mexer com as nossas vidas. Para quando uma política madura, estratégica, coerente e com rumo?
Quando temos as nossas vidas para arranjar sobra-nos pouco para a dos outros.
Calma, já só faltam 3 anos.


segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-L: Ping Pong…



Fomos campeões da Europa, de Ténis de Mesa, no dia em que António José Seguro apanhou capota, nas primeiras eleições primárias de um dos “grandes”.
Em política o ping pong é constante, e ora estamos em vantagem, ora apanhamos “coça”.
Aqui pela região António Gameiro apanhou uma “bela tareia”, pois enquanto apoiante de António José Seguro não conseguiu a vitória deste na sua federação.
Por Santarém António Costa obteve 71,68%, uma vitória expressiva que por certo fragilizará Gameiro.
Outro derrotado da noite foi Paulo Fonseca, apoiante acérrimo de Seguro, que vê assim diminuírem as possibilidades de vir a ser convidado para o futuro Governo Socialista. 
Fica também ainda mais exposto, uma vez que perde uma proteção importante numa fase em que bem precisa.
Um dia após as últimas eleições autárquicas, em Ourém já cheira a fim de ciclo, bastando ao PSD de Albuquerque / Moura inteligência na gestão dos próximos 3 anos.


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLIX: Centenário…4,6 milhões de euros / 3500 euros = 110 anos sem comer



A situação frágil de Paulo Fonseca é conhecida há muito, pelo que as novidades atuais só pecam por tardias.
Já em 2009, aquando das primeiras eleições ganhas por este, circulavam papéis e recados do PSD de então a alertar o pessoal para essa fragilidade, muitos deles impressos nas empresas municipais, que por essa altura davam para tudo (curiosamente os nomes das empresas mudam, mas as pessoas continuam a ser as mesmas).
Segundo a notícia de hoje foi confirmada a insolvência do Presidente Fonseca, num processo de dívidas que ascendem até aproximadamente cinco milhões de euros (fora o resto que circulou sem documentos).
Avança-se agora para a possibilidade de perda de mandato deste, a ser requerida ao Ministério Público.
Será justificada a perda de mandato?
Justificadíssima, quando alguém tem que trabalhar até aos duzentos anos para pagar as suas dívidas (assumindo apenas o vencimento de presidente da autarquia), é provável que as notas se colem às mãos.
Ourém precisa de mais, Ourém precisava de voltar a 2013, para corrigir um erro de dígito 120, que hoje não se repetiria.


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLVIII:Amigos como antes?



O título é apenas uma brincadeira mas dá conta do acordo entre o PSD-CDS e o MOVE na descida da taxa de IMI no concelho.
Os Sociais Democratas associaram-se ao seu ex-companheiro Vítor Frazão, em reunião de Câmara, aprovando a proposta deste para baixar a taxa de IMI, dos atuais 0,375 % para os 0,33%.
Esta proposta de taxa em votação situa-se entre os valores propostos pela maioria socialista e aqueles propostos pela Coligação Ourém Sempre, levando à vitória do intento proposto pelo Ex-Presidente da Câmara Municipal de Ourém e, respetivamente, ex-Presidente do Partido Social Democrata.
Bom filho à casa torna?

Não me parece, foi apenas um entalar do Vereador ao seu ex-partido, que se viu na obrigação de fazer cair a sua proposta sob pena de ganhar a do executivo socialista (0,36%).

Que se entendam sempre, a bem do concelho!!!


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Posturas



Hoje li uma notícia em que Manuel Pellegrini, técnico da equipa de Futebol do Manchester City, questionava o tipo de jogo do Chelsea, equipa treinada pelo José Mourinho.
Dizia o chileno que “O Chelsea joga como equipa pequena”.
Pois joga, Manuel, mas ganha como equipa grande.
Resta perguntar aos adeptos se, preferem jogar como equipa pequena, mas ganhar como se fosse grande, ou ao invés, jogar com uma equipa que se faz grande, e perde como uma pequena.
Aposto que prefeririam ganhar, mesmo que seja como Mourinho lhes incute, cortando espaços, jogando em bloco a defender e a atacar mais pela certa. 
Eu suma, sendo pequeno, mas agigantando-se.
O problema Manuel, é que as nossas instituições fazem-se grandes, concebem estratégias de gigantes e fundam-se em pernas de barro. Por isso perdem.
Por isso, mais vale andar pela certa e ser gente.
Humildade.
Com esta lição de postura inauguramos a época política 2014/2015, pois somos um blogue pequeno, que não se faz grande, mas que luta como se fosse.



quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLVII: Ventos no Jardim


Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.

Nem sempre o vento cala a desgraça, como dizia Manuel Alegre, por vezes a desgraça é anunciada a esses quatros ventos. O exemplo que se segue é interessante:
O município de Ourém quer construir um Fórum Cultural no valor de 9 milhões de euros, quem o anuncia é o Jornal da Madeira, o belo e imparcial veículo da loucura do Alberto João Jardim.
Coincidências?
Para mim não existem, todos sabemos que é com contratação pública que os políticos arranjam tachos, que os políticos enriquecem, portanto não é de estranhar que Fonseca comece a treinar a receita de Jardim.
Uma vergonha, com tanto para fazer, com nada feito, gastam-se energias com megalomanias.
Que miséria de políticos…





quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLVII: Tachadas repletas

Há coisas na vida que mudam, mas a previsibilidade de elas acontecerem é sempre muita.
Senão vejamos, António Gameiro aproveitou o ano como lhe resta de deputado e aproveitou para dar emprego ao amigo João Miguel Caldeira Heitor, até agora Chefe de Gabinete do Sr. Presidente de Câmara.
Como aqui havia sido dito, há bem pouco tempo, os amigos são para as ocasiões e de solidariedade, em solidariedade a história repete-se.
Quem se lixa é o povo, que paga....
Mas isso que importa, não é senhores?


terça-feira, 19 de agosto de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLVI: Onde fica?



Decidi interromper as minhas preciosas férias (desta vez em Portugal), para partilhar convosco uma curiosidade.
O Diário Digital hoje fala no nosso concelho, mas a fotografia que escolhe é no mínimo desnorteada.
Acho que isto contagia-se….
O desnorte anda por aí…


segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLV: 70,4 % de intrometidos.



Dada a situação insolvente do atual Presidente Paulo Fonseca, o Jornal O Mirante decidiu colocar o inquérito online, no qual os leitores eram chamados a pronunciarem-se sobre a possibilidade de perda de mandato e, dado, esse cenário, se estaria este em condições de continuar a gerir a Câmara.
Ao que parece 70,4 % destes leitores responderam negativamente, afirmando que Paulo Fonseca não tem condições para continuar a gerir a Câmara de Ourém.
Tratam-se de “toupeiras”, pessoas intrometidas na vida pessoal de um simples cidadão, já que os restantes 29,4% dos inquiridos são pessoas idóneas, de bem, que expressaram a sua solidariedade com o Edil.
Dois pesos duas medidas?
Claro, convêm ouvir prosas que nos agradem para os poemas serem mais sentidos.
Agora fica a perguntar no ar: 
E você, considera que tem Paulo Fonseca condições para continuar à frente da autarquia?


 A da Câmara? E a Dele?

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLIV: Totalmente (in)Seguro



As prosas de Paulo Fonseca, as fugas rimadas à verdade, são o refúgio do autarca que encontra nos poemas a última forma de expressão.
Desde a sua situação pessoal frágil, passando pelo vigor político nacional cada vez mais débil, dado o seu comprometimento com António José Seguro, tudo parece fugir ao controlo de um dos maiores ilusionistas da gestão oureense dos últimos anos.
O futuro segue logo aí, depois das férias judiciais, depois das eleições para a Federação Socialista de Santarém, e claro, a seguir às Primárias.

Três testes aos quais terá que sobreviver…

domingo, 3 de agosto de 2014

Devaneios: Surfa na tábua



Vivo desde 1963 e não me lembro em altura alguma de uma situação social, política e económica tão complicada de descrever, tão cheia de interesses, de jogos, de confusões.
Desde bancos, a ex-políticos corruptos enriquecidos, a presidentes de câmara sem escrúpulos, na propaganda do quotidiano, sem rumo, com a indecência do engano.
Pior que tudo amigos a nossa juventude, desinteressada ou interessada de mais, em juventudes partidárias sem modelos, apenas com horizontes, em primárias ou secundárias, sem qualquer almejo humanista.
A ordem é resistir,

Irmão surfa na tábua do teu rumo
Porque o país anda inseguro
Os políticos enganam-nos, o estado rouba-nos,
Resta Deus com o seu prumo!

A praia vai irada,
A bandeira flameja ao vento,
Serão estrelas, será mesmo azul?
Mais parece vermelha de tormento.

Luta, resiste, esbate-te,
Não vamos esperar por nova vaga,
Agarra na prancha, não desistas,
Temos que eliminar esta praga!!!


Tá-se bem por Ourém 04-XLIII:Total confiança?



O PS de Ourém veio mostrar-se solidário num comunicado com o seu mestre, Paulo Fonseca, o homem que decidiu apelidar a malta de toupeiras, embora seja ele que se enterre em buracos… Mas adiante.
Segundo o Partido Socialista a vida pessoal é de cada um, pelo que não se pronuncia sobre a vida pessoal do Presidente.
Pois, mas ele é Presidente e isso tem implicações no seu mandato, não acham?
Mas outra coisa não seria de esperar.
Depois congratulou-se por ser um dos municípios com uma boa performance na amortização da dívida, conforme atestado recentemente. Pois é, bendito PAEL que cortou as vasas à loucura política!!!
É que olhando para alguns ajustes diretos eu imagino o que seria caso não existisse a atual lei dos compromissos.
Ah e já agora amigos, confiem antes no Administrador de Insolvência, pois é ele que a partir de agora gerirá o Património de tão brilhante gestor. 


quinta-feira, 31 de julho de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLII: Comadres na Derrota



O PSD decidiu reagir, de forma cautelosa, porque quem tem rabos-de-palha pode sair queimado, à declaração de insolvência do Presidente Paulo Fonseca.
Disse tratar-se de uma questão de foro pessoal, mas que obviamente se repercutia no exercício de Presidente, pelo que todos os oureenses mereciam uma explicação, ou tomada de posição do Dr. Paulo Fonseca que não apenas umas trivialidades.

Aliás é engraçado ver esta troca de papéis, o PS parece o PSD nos seus piores anos, e vice-versa.

O PS respondeu, acusando o PSD de ter ainda um processo em tribunal relacionado com corrupção passiva, através do do mui respeitado Dr. João Heitor (o qual precisa de Paulo Fonseca para ter o seu tachinho seguro).
António Gameiro, enquanto Presidente da Federação Distrital do Partido Socialista, veio também acusar a oposição de ter feito pior, solidarizando-se com os problemas pessoais do Presidente da Câmara de Ourém.

Enredos engraçados, comadres na derrota.

 

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XLI: Movimentos



Ele há movimentos de vitória e de derrota!
Em política nada melhor que um tomar de pulso às campanhas para se perceber quem vence, quem perde, já que se trata de uma área sem empates.

Olhando para a campanha de Maria do Céu Albuquerque vs. António Gameiro percebemos facilmente que a Abrantina leva vantagem e vai ganhar. Sairá vencedora, muito além da guerra Costa vs. Seguro, pela capacidade mobilizadora que tem, pela sua tenacidade e habilidade.

A falta de aderência à campanha de António Gameiro é gritante, nem em Ourém conseguiu mobilizar uma massa significativa de apoios. Bastou ver ontem o decrépito Salão Nobre da Junta de Freguesia da Piedade, com pouco mais de meia dúzia de apoios que, retirando funcionários, colegas e apaniguados, se resumia a pouco, ou nada.

As contas começam a ser feitas e para os lados do PS Ourém não andam famosas, a não ser para um militante: José Alho, na hora da vingança.

Esta serve-se fria, e um ano depois chegou a vez de sorrir.


segunda-feira, 28 de julho de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XXXIX: Trivialidades



A vida não é fácil, mas o pior pensamento que poderemos ter perante alguém é pena.

A vida a Fonseca não corre bem, tem sido difícil tapar buracos, a própria situação do que os rodeiam degrada-se pela sua agilidade em cometer erros na gestão da vida empresarial: Mas nós oureenses não temos culpa.
Que o Estado atribua subsídios, apoie quem precise, defendo que sim, deve ser uma prioridade. Estado social, efetivo!!
Mas o cargo de Presidente de Câmara deve ser respeitado, imaculado, não pode servir, ou sob qualquer suspeita, subsidiar a vida pessoal de alguém.
Todos percebemos que a situação do atual Presidente de Câmara é um acumular de erros, de desrespeitos por outros, de desonra de compromissos.

Querem alguém fragilizado, “vulnerável a questões esquisitas” em frente da nossa edilidade?

Eu não, porque depois acontecem “coisas estranhas”.
Que se cumpra a lei, e nos deixemos de trivialidades, de mensagens sem conteúdo que só servem para refutar aquilo que já não é desprezável.

Transparência exige-se.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XXXVIII: Fragilidade



O nosso Presidente de Câmara Municipal, Paulo Fonseca, vive uma situação de fragilidade que ninguém quer assumir.
O estado de insolvência, que só agora foi declarado em tribunal, fragiliza o Presidente no exercício do cargo que ocupa. 
Está vulnerável a situações pouco claras, pouco transparentes que podem reverter a favor da sua situação calamitosa.
A todos pode acontecer, mas é bom que não aguentemos um Presidente de Câmara assim.
Não é por opção, é por necessidade. Não é nada pessoal, mas trata-se de prevenção!!!
Pena é um sentimento forte, mas é o que sinto daqueles que foram arrastados para o buraco, do seu pai, da sua ex-mulher, dos demais familiares, dos sócios que nele acreditaram, nos empresários que com ele lidaram, dos oureenses que por ele foram iludidos.
Que esta situação se assuma tal qual como é, e que se busquem alternativas.
Que o amigo Nazareno se apresse, se chegue à frente e cresça politicamente. Que leve a Dr.ª Lucília, amiga de tantas horas do IEFP, e que juntos façam o que 4 nunca conseguiram fazer, porque não têm o vosso pragmatismo e estão agarrados ao poder.
Vocês dois já mostraram cá foram de que são capazes. Aí dentro, façam….


 

terça-feira, 22 de julho de 2014

Escândalo: E se tudo mudasse rapidamente?

E se o 25 de abril de Ourém, em 2009, virasse dia 25 de novembro, à moda de Macário Correia???



Tá-se bem por Ourém 04-XXXVII: Um Maçon (In)seguro


António Gameiro é, por estes dias, um Maçon inseguro, com receio que nem o peso da bata o aguente como Presidente da Federação Distrital do Partido Socialista de Santarém.
Prova disso é o apelo constante que tem feito, para que vejam o seu trabalho (é possível vê-lo?), na congregação de esforços para manter o partido unido, em prol de uma região mais dinâmica, pelas visitas a todos os concelhos, etc. e tal.
Não é que defenda a postura de António Costa no seio do PS, mas admiro de facto a rapidez da sua candidatura em colocar no terreno um peso muito importante, que apesar de delgada bate à légua Gameiro: Maria do Céu Albuquerque.
A unidade que sempre pautou o trio Paulo Fonseca + António Gameiro + Maria do Céu Albuquerque, parece agora quebrada, com o surgimento da última como alternativa aos dois primeiros.

É mais que uma guerra Seguro vs. Costa, é a afirmação de uma candidatura feminina, imaculada face ás politiquices correntes e com José Alho na sombra, na sede de uma vingança a quem em Ourém o abandonou.

Isto promete…


sábado, 19 de julho de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XXXVII: Muita parra e pouca uva....



A Câmara Municipal de Ourém vai adjudicar o novo sistema de mobilidade de Fátima, pelo valor de 820 mil euros. Depois dum chumbo do Tribunal de Contas, ao primeiro contrato, eis que a autarquia avança para uma solução que acredita vir a melhorar o sistema de mobilidade.

Não questiono a iniciativa, lembro apenas outra coisa: Como é possível se discutirem sistemas de milhares de euros quando nem se limpam as bermas das estradas que dão acesso à cidade?

É vergonhosa a forma como recebemos os peregrinos !!!


sexta-feira, 18 de julho de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XXXVI: Ser bom, à político



Não tenho propriamente saudades do tempo que passou, mas o pior é que olho tristemente para Ourém e vejo que nada para melhor mudou.
O Deputado Gameiro vangloriava-se recentemente que os políticos portugueses eram dos mais cumpridores. Até dá vontade de rir.
Está bem Senhor Deputado, acha que vamos bem? Continuem…
Olho para 2009 e dá me mesmo vontade de rir, ou chorar, nem sei.
Uns falam que aumentaram o salário mínimo, que juntos conseguimos (o quê? Trazer a Troika 2 anos depois), outros achavam que tinham Obra Feita, prometiam uma fantástica Fátima 2017 (ui que maravilha), e outros iludiam-nos com promessas e mais promessas.
Se os políticos portugueses são dos mais cumpridores, Sr. Deputado, pergunto-lhe:

- Onde está a Zona Industrial de Atouguia / Gondemaria / IC9?

- Qual foi a requalificação e legalização que foi feita nas zonas industriais?

- O CEO é que é o Ninho de empresas prometido? UI, que ninho….

- Onde está o tal Centro de Congressos de Fátima?

 

Oh Sr. Deputado, isto é que é cumprir???

Os Primeiros Ministros Suecos, que andam de bicicleta, que vivem em simples apartamentos, sem empregadas domésticas sequer, são uns malandros.
Os Portugueses, esses sim, são uns cumpridores.

Oh Sr. Deputado, escreva livros, vista o avental, mas largue o tacho porque de falácias estamos fartos.


quarta-feira, 16 de julho de 2014

Tá-se bem por Ourém 04-XXXV: Amuo e vou-me embora….



Sobre a não auscultação do “movimento” MOVE, na conferência de líderes da última Assembleia Municipal, o amuo do Vereador Vítor Frazão, dirigido ao Sr. Presidente de Câmara:

“Senhor presidente da câmara, uma vez que foi consigo que assinei o compromisso de governabilidade, quero deixar bem claro que, em termos pessoais ou em reuniões da câmara ou fora delas, jamais me deixarei subalternizar, e adianto firmemente que denunciarei de imediato o texto do referido compromisso caso tais factos se voltem a repetir”.

Ui, digno de registo.

Será que não podem ir embora os dois!!?